Páginas

sábado, 23 de agosto de 2014

Deputado do PT fez reunião com PCC antes de ataques a ônibus em São Paulo.

ESTE É O PT,TEM MUITO BANDIDO DENTRO E NÃO ME REFIRO AOS DO PCC PORTANTO,PENSEM ANTES DE VOTAR. 

MÁRIO

O deputado petista ligado ao PCC, Luiz Moura


O deputado estadual Luiz Moura (PT) participou de uma reunião, em março deste ano, em que estavam presentes ao menos 13 integrantes da facção criminosa PCC, de acordo com informações obtidas pela Folha com a cúpula da polícia.


Entre eles estava um dos criminosos acusados de participar do furto do Banco Central, no Ceará, em 2005, quando foram levados R$ 164,8 milhões, além de um procurado da Justiça por roubos a bancos.


A reunião ocorreu na sede da Transcooper, zona leste da capital, cooperativa da qual o deputado faz parte, segundo documentos da Junta Comercial de São Paulo. Moura é aliado do secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto (PT). A Transcooper tem permissão da prefeitura para explorar linhas de ônibus em três áreas da cidade.



No encontro, monitorado pela Polícia Civil, estariam em tese sendo discutidos temas de interesse dos cooperados. Porém, segundo a investigação, 11 desses suspeitos de ligação com PCC não participam formalmente de atividades do setor.


BATE-BOCA


Na quarta-feira, o subsecretário de Comunicação do governo Alckmin, Márcio Aith, revelou que o encontro foi alvo de uma operação policial. O subsecretário rebatia críticas feitas por Tatto ao trabalho da polícia durante a greve dos motorista de ônibus que terminou na quinta-feira (21).Tatto disse haver "passividade" da PM ao lidar com a obstrução de vias por grevistas.



Aith, sem citar nomes, mencionou a operação policial e cobrou do secretário de Transportes explicações sobre a participação de um aliado dele nessa reunião --o deputado Luiz Moura. Moura ajudou a organizar o serviço de perueiros na capital ainda na gestão Marta Suplicy (2001-2004). É irmão do vereador Senival Moura, fundador de um sindicato ligado a lotações.



A Polícia Civil foi até a sede porque investigava ataques a ônibus. No início do ano, mais de 70 veículos foram incendiados durante protestos em várias partes da capital. Participavam do encontro no momento 45 pessoas. Os policiais acreditam que a facção criminosa esteja por trás de parte dos ataques. A polícia também investiga se o dinheiro do PCC foi usado na aquisição de veículos de cooperativas da capital.



Moura foi procurado ontem, mas não quis dar entrevista sobre o encontro. Por meio de sua assessoria, disse que esteve na sede da cooperativa para tratar de assuntos de interesses da categoria e que o assunto está encerrado. A secretaria de Transportes afirmou que a relação entre Tatto e Moura "ocorre no âmbito institucional e democrático, da mesma forma que com os demais parlamentares do PT e de outras legendas".



ASSALTO


O deputado foi eleito pelo PT em 2010 com mais de 100 mil votos. No início da década de 1990, ele foi preso e condenado por assalto a mão armada. Chegou a ficar preso por um ano e meio, mas conseguiu fugir. Ele ficou foragido por cerca de dez anos. Da condição de foragido por assalto, em cerca de quatro anos Moura conseguiu construir um patrimônio de cerca de R$ 5 milhões, segundo ele próprio declarou à Justiça Eleitoral em 2010.



Entre os bens mais valiosos listados por ele estavam uma empresa de ônibus, a Happy Play Tour --com cotas declaradas no valor de R$ 4 milhões--, e postos de gasolina. Dois anos depois, ao disputar a Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos, Moura declarou bens de R$ 1 milhão. A empresa não constava. (Folha de São Paulo)
***
Fonte: Blog do Coronel
***
Mário

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

ELA SE DIZ EVANGÉLICA, USA BUMBUM COMO PROFISSÃO E TEVE MURO PICHADO POR RELIGIOSOS


Recentemente o portal ego (globo) publicou a matéria “Evangélica concorre ao título de Miss Bumbum: 'Julgarão como pecado' que diz respeito a candidata Rebeka Francis a miss bumbum 2014. Leia o que o portal escreveu sobre:



Rebeka Francis, a candidata de Rondônia ao título de Miss Bumbum 2014, vem sofrendo com uma pichação ofensiva no muro do prédio onde mora, em São Paulo. Recentemente, a moça - que divide apartamento com a amiga Andressa Urach (vice miss bumbum 2012) - se deparou com a frase ‘Miss Bumbum do Capeta’ em letras garrafais na entrada do prédio.

Inicialmente foi especulado que a mensagem seria para Urach, a mais famosa participante do concurso, mas isso foi logo desmentido pela própria Rebeka, que segue a religião evangélica. “Aquilo foi pra mim, pois há dias tinham uns perfis fakes em minhas redes sociais falando sobre minha religião. Como é algo que realmente me ofende, eles acharam meu ponto fraco e quiseram me humilhar. As pessoas são maldosas e acabam não tendo noção de seus atos”, disse a Miss Bumbum Rondônia.

Rebeka contou ao EGO que sempre sonhou participar de um concurso de beleza, mas que a sua família, que segue a mesma religião, não apoia. “Mas eles aceitaram”, garantiu ela, antes de completar: “Quando entrei no concurso, foi para ir até o fim. Posso sensualizar, sim, sem problema nenhum, mas uma coisa é o concurso, outra é a minha religião. Jamais vou sensualizar em uma igreja".

Em São Paulo, a candidata ao Miss Bumbum 2014 tem frequentado a Igreja Universal com a amiga Andressa Urach, a quem é só elogios. “Conheço uma Andressa que poucas pessoas conhecem, uma pessoa batalhadora, amiga, sincera e também temente a Deus. Sinto que Deus está fazendo a obra na vida dela e me sinto muito abençoada por estar participando disso”, declarou.

Preconceito e ensaio nu

Rebeka sabe que sua opção pode não ser bem aceita pela comunidade evangélica. A candidata, porém, está dedicada a seguir seu sonho. “Não estou me vendendo, nem nada parecido. Sou empresária, estudante e participante de um concurso, mas as pessoas com certeza vão me julgar como pecadora. Quem não tem pecado que atire a primeira pedra. Sei que Deus sabe meu coração e meus sonhos, o que me importa é ir buscar a palavra e alimento para meu espírito”, afirmou.

Ela ainda confessou que ficou tímida no começo por ter que ficar tanto tempo de biquíni, mas que, mesmo com um visual mais discreto, não teria como esconder seus ‘atributos’. “Acredito que dá para ser sensual com roupas mais fechadas também, depende da pessoa. Quando você tem um corpo escultural, qualquer roupa sendo justa deixa as curvas à mostra, mesmo estando toda vestida”, opinou. Já quanto a um possível ensaio nu no futuro, Rebeka ainda está em dúvida: “Não sei se faria, por respeito a minha família, acho que não”.Fonte: Ego Globo.

***

Nota do blogueiro

Quero pontuar quatro coisas rapidamente:

1) O termo “evangélico” em nossa nação não traz mais o antigo significado de ser seguidor do Evangelho. Ele hoje é um termo ressignificado, e suas conotações perpassam por uma banalização de massa como um fenômeno de democratização do rótulo religioso, até certo ponto compreensível, quando levamos em conta o retrato de uma igreja que tem se moldado a cultura do mundo, ao invés de ser a produtora de cultura.

2) No país onde uma bunda vale mais que uma idéia, e a religião é como cardápio a gosto do freguês, não me espanta a senhora Rebeka tentar conciliar sua poupança (em todos os sentidos) com sua espiritualidade.

3) Caso a igreja que a Rebeka congrega e confessa a sua fé for realmente a IURD, isso apenas corrobora para entender que ela não é genuinamente evangélica, e que o lugar onde ela busca auxilio espiritual é sem dúvida alguma, a maior seita existente no Brasil.

4) O mais triste é notar que já existe uma tentativa de conciliar a sensualidade e erotização com a vida cristã no meio da juventude dita evangélica. Desde as famosas selfie’s, imagens de adolescentes e moças trajando apenas biquíni, e o próprio comportamento feminino dentro de algumas comunidades tem dado uma demonstração clara de que a juventude feminina cristã tem muito mais sido influenciada do que influenciadora diante das imposições feministas do atual momento.

***

Antognoni Misael, vide Arte de Chocar.
***
Fonte: Púlpito Cristão
***
Mário

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Qual o futuro da igreja evangélica no Brasil?





Quando olho o atual cenário da igreja evangélica brasileira – estou usando o termo “evangélica” de maneira ampla – confesso que me sinto incapaz de prever o que vem pela frente. Há muitas e diferentes forças em operação em nosso meio hoje, boa parte delas conflitantes e opostas. Olho para frente e não consigo perceber um padrão, uma indicação que seja, do futuro da igreja.

Há, em primeiro lugar, o crescimento das seitas neopentecostais. Embora estatísticas recentes tenham apontado para uma queda na membresia de seitas como a Universal do Reino do Deus - que ressurge das cinzas com o "templo de Salomão" - , outras estão surgindo no lugar, como na lenda grega da Hidra de Lerna, monstro de sete cabeças que se regeneravam quando cortadas. A enorme quantidade de adeptos destes movimentos que pregam prosperidade, cura, libertação e solução imediata para os problemas pessoais acaba moldando a imagem pública dos evangélicos e a percepção que o restante do Brasil tem de nós. Na África do Sul conheci uma seita que mistura pontos da fé cristã com pontos das religiões africanas, um sincretismo que acaba por tornar irreconhecível qualquer traço de cristianismo restante. Temo que a continuar o crescimento das seitas neopentecostais e seus desvios cada vez maiores do cristianismo histórico, poderemos ter uma nova religião sincrética no Brasil, uma seita que mistura traços de cristianismo com elementos de religiões afro-brasileiras, teologia da prosperidade e batalha espiritual em pouquíssimo tempo.

Depois há o movimento “gospel”, que mostrou sua popularidade ao ter o festival “Promessas” veiculado pela emissora de maior audiência do país. Não me preocupa tanto o fato de que a Rede Globo exibiu o show, mas a mensagem que foi passada ali. A teologia gospel confunde “adoração” com pregação, exalta o louvor como o principal elemento do culto público, anuncia um evangelho que não chama pecadores e crentes ao arrependimento e mudança de vida, que promete vitórias mediante o louvor e a declaração de frases de efeito e que ignora boa parte do que a Bíblia ensina sobre humildade, modéstia, sobriedade e separação do mundo. Para muitos jovens, os shows gospel viraram a única forma de culto que conhecem, com pouca Bíblia e quase nenhum discipulado. O impacto negativo da superficialidade deste movimento se fará sentir nesta próxima geração, especialmente na incapacidade de impedir a entrada de falsos ensinamentos e doutrinas erradas.

Notemos ainda o crescimento do interesse pela fé reformada, não nas igrejas históricas, mas fora delas, no meio pentecostal. Não são poucos os pentecostais que têm descoberto a teologia reformada – particularmente as doutrinas da graça, os cinco slogans (“solas”) e os chamados cinco pontos do calvinismo. Boa parte destes tem tentado preservar algumas idéias e práticas características do pentecostalismo, como a contemporaneidade dos dons de línguas, profecia e milagres, além de uma escatologia dispensacionalista. Outros têm entendido – corretamente – que a teologia reformada inevitavelmente cobra pedágio também nestas áreas e já passaram para a reforma completa. Mas o tipo de movimento, igrejas ou denominações resultantes desta surpreendente integração ainda não é previsível.

O impacto das mídias sociais também não pode ser ignorado. E há também o número crescente de desigrejados, que aumenta na mesma proporção da apropriação das mídias sociais pelos evangélicos. Com a possibilidade de se ouvir sermões, fazer estudos e cursos de teologia online, além de bate-papo e discipulado pela internet, aumenta o número de pessoas que se dizem evangélicas mas que não se congregam em uma igreja local. São cristãos virtuais que “freqüentam” igrejas virtuais e têm comunhão virtual com pessoas que nunca realmente chegam a conhecer. Admito o benefício da tecnologia em favor do Reino. Eu mesmo sou professor a quinze anos de um curso de teologia online e sei a benção que pode ser. Mas, não há substituto para a igreja local, para a comunhão real com os santos, para a celebração da Ceia e do batismo, para a oração conjunta, para a leitura em uníssono das Escrituras e para a recitação em conjunto da oração do Pai Nosso, dos Dez Mandamentos. Isto não dá para fazer pela internet. Uma igreja virtual composta de desigrejados não será forte o suficiente em tempos de perseguição.

Eu poderia ainda mencionar a influência do liberalismo teológico, que tem aberto picadas nas igrejas históricas e pentecostais e a falta de maior rapidez e eficiência das igrejas históricas em retomar o crescimento numérico, aproveitando o momento extremamente oportuno no país. Afinal, o cristianismo tem experimentado um crescimento fenomenal no chamado Sul Global, do qual o Brasil faz parte.

Algumas coisas me ocorrem diante deste quadro, quando tento organizar minha cabeça e entender o que se passa.

1 – Historicamente, as igrejas cristãs em todos os lugares aqui neste mundo atravessaram períodos de grande confusão, aridez e decadência espiritual. Depois, ergueram-se e experimentaram períodos de grande efervescência e eficácia espiritual, chegando a mudar países. Pode ser que estejamos a caminho do fundo do poço, mas não perderemos a esperança. A promessa de Jesus quanto à Sua Igreja (Mateus 16:18) e a história dos avivamentos espirituais nos dão confiança.

2 – Apesar de toda a mistura de erro e verdade que testemunhamos na sincretização cada vez maior das igrejas, é inegável que Deus tem agido salvadoramente e não são poucos os que têm sido chamados das trevas para a luz, regenerados e justificados mediante a fé em Cristo Jesus, apesar das ênfases erradas, das distorções doutrinárias e da negligência das grandes doutrinas da graça. Ainda assim, parece que o Espírito Santo se compraz em usar o mínimo de verdade que encontra, mesmo em igrejas com pouca luz, na salvação dos eleitos. Não digo isto para justificar o erro. É apenas uma constatação da misericórdia de Deus e da nossa corrupção. Se a salvação fosse pela precisão doutrinária em todos os pontos da teologia cristã, nenhum de nós seria salvo.

3 – Deus sempre surpreende o Seu povo. É totalmente impossível antecipar as guinadas na história da Igreja. Muito menos, fazer com que aconteçam. Há fatores em operação que estão muito acima dos poderes humanos. Resta-nos ser fiéis à Palavra de Deus, pregar o Evangelho completo – expositivamente, de preferência – viver uma vida reta e santa, usar de todos os recursos lícitos para propagar o Reino e plantar igrejas bíblicas e orar para que nosso Deus seja misericordioso com os seus eleitos, com a Sua igreja, com aqueles que Ele predestinou antes da fundação do mundo e soberanamente chamou pela Sua graça, pela pregação do Evangelho.

Postado por Augustus Nicodemus Lopes
Blog O tempora O mores
***
Em Cristo,
Mário

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Malafaia perde 30 mil ofertantes e barganha a fé para compensar

by Estrangeira do blog "Uma extrangeira no mundo"blog26

Na manhã de hoje foi ao ar mais um programa do Pr. Silas Malafaia na Rede TV. Nesse programa, tal (im)pastor gastou quase 25 minutos numa pseudo-pregação com o fim de constranger os fiéis a lhe dar "ofertas especiais".
Como sempre, Malafaia começou com seu manjado bordão: "duvidar, criticar e determinar". Com isso, pretende que todos somos livres para analisar quaisquer propostas que nos cheguem, e então decidir pela sua aceitação, aceitação parcial ou total rejeição. No discurso malafaiano, muito bonito e digno de nota. Na prática, porém, tem efeito placebo total, já que tudo pode ser criticado e analisado, menos as ideias do Malafaia. Para quem decide por rejeitá-las sobram adjetivos, alguns expressos no programa de hoje: mesquinhos, caluniadores, manés, vagabundos, filhos do diabo, trouxas e palavras amáveis do tipo.
A "pregação" começou com Romanos 10.14-15:
"Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue?
E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas."
Em seguida, Malafaia mostrou algumas obras sociais nas quais sua Associação Vitória em Cristo contribui com certa quantia em dinheiro e a quantidade de países nos quais seus programas televisivos estão disponíveis. E, como nada é por acaso, partiu logo para um resumo do programa "Uma vida de prosperidade", aquele programa que foi um desafio para que se encontrasse nele algo fora da Bíblia. Um desafio de tolo, diga-se de passagem, pois praticamente toda a pregação demonstrava uma interpretação errônea, calcada na escolha de versículos isolados de seu contexto com o fim de afirmar a Teologia da Prosperidade, da qual Malafaia é um dos principais expoentes no Brasil. Enfim, como vale a pena ver de novo, eis o link para tal programa.blog25
O resumo sobre prosperidade versou sobre alguns versículos de 2 Coríntios 9: os versículos 6, 7, 8, 10 e 11, cada um, isoladamente e por si só, suficientes (segundo Malafaia) para justificar uma das 5 Leis do Ofertante, as leis da semeadura, da abundância, do favor de Deus para o ofertante, do amor de Deus para o ofertante e da multiplicação. Segundo a falsa interpretação de Malafaia, quem oferta em "terra boa" (ou seja, na dele), quase tudo o que tem (pois o que vale é a "qualidade" da oferta, e deu como exemplo a oferta da viúva), para investimento em evangelização receberá de Deus bênçãos materiai$ e espirituais com grande abundância, pois Deus gosta de multiplicação e não de soma, segundo o (im)pastor.
Claro, frisa o Malafaia, ninguém deve ser constrangido ou obrigado a ofertar. Porém, só quem ofertar receberá as bênçãos e favores divinos com abundância. Contraditório, não?
É engraçado que Malafaia usa, na defesa de sua pregação, 2 Coríntios 9.6,7,8,10 e 11. Note que ele pula o versículo 9. Por que será?
"Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre." - 2 Coríntios 9:9
Ou, em outra tradução:
"Como está escrito: "Distribuiu, deu os seus bens aos necessitados; a sua justiça dura para sempre". 
Ou seja, o versículo 9 destroi, aniquila, quebra, estraçalha a péssima interpretação malafaiana de 2 Coríntios 9. Afinal, quem lê todo o capítulo 9 (e o 8 também) percebe claramente que o Apóstolo (de verdade) Paulo fala da importância de se ofertar em prol dos necessitados. Já para Malafaia essa interpretação não é interessante, pois o tal (im)pastor não quer que os fiéis dêem dinheiro para os pobres, mas sim para SEU MINISTÉRIO VITÓRIA EM CRISTO.
E assim, Malafaia age como o ladrão, pois através de um absurdo exercício de exegese (acho que ele nem sabe o que é isso) leva os fiéis a transferirem para ele (ou para sua ADVEC, ou o que o valha) os recursos que, na Bíblia, há ordenamento para que sejam enviados aos que necessitam.
Bonito, né, sr. Malafaia?
O fato de ajudar a manter obras sociais não justifica a NINGUÉM alterar a mensagem bíblica. O fato de fazer o bem não justifica a ninguém deturpar a Palavra de Deus. Bem por bem, os espíritas fazem muito mais do que o (im)pastor Malafaia e muitos de nós.
Bonito, né, sr. Malafaia?
No final da pseudo-pregação, Malafaia explica o porquê de tanto ardor em "ensinar" liberalidade: após a reportagem da Revista Forbes, que o enumera entre os pastores mais ricos do Brasil, Malafaia perdeu cerca de 30 mil "patrocinadores fiéis" (aqueles que, mensalmente, enviam certa quantia para seu ministério).
Pois é, TRINTA MIL. E, talvez por isso, o (im)pastor necessite de algum dinheiro para ajudar a pagar as contas do seu ministério.
Mas, quem ensina algo deve, por um mínimo de coerência, praticar o que ensina. Já que Malafaia gosta tanto de ensinar o povo a ser liberal, dando boa parte do que têm para a igreja em troca das bênçãos financeiras e outras mais, porque o próprio Malafaia não põe a mão no bolso e investe ofertas bem alçadas em seu próprio ministério? Se o que ele prega for verdade, vai ser o maior investimento de sua vida, já que poderá investir uma Mercedes blindada e ganhar em troca umas 10; investir um anel de 4.000 dólares e ganhar outros cem anéis; doar o aviãozinho e receber uma frota em troca. Assim, não apenas cobriria o rombo financeiro de seu ministério, como também garantiria riquezas para umas 4 gerações depois da sua.
Ah, mas liberalidade, "lei da semeadura" e afins são para os pobres fiéis!!!
Bonito, né, sr. Malafaia?blog27
Só para piorar mais um pouquinho (se é que isso é possível), Malafaia é daqueles (im)pastores que sabem que, se suas ovelhas descobrirem o verdadeiro significado da Graça de Deus, não terá sobre elas o domínio cego que possui hoje. Por isso, para mantê-las aprisionadas em seu aprisco, Malafaia usa e abusa de "leis", de normas ditas por ele bíblicas (mas na verdade inventadas por homens sedentos de poder), para que as ovelhas mantenham a obediência às suas ordens. Não à toa, segundo tal (im)pastor, para se obter a própria Graça de Deus é preciso seguir uma Lei específica, que é citada durante a pseudo-pregação. Essa lição Malafaia aprendeu de seu professor de heresia americano, o tal "Doutor" (em quê?) Mike Murdock, além das aulinhas de especialização com o "profeta de deus" (Mamom?) Morris Cerullo. A propósito, o Murdock já veio neste ano pedir dinheiro pro Malafaia. Está faltando o Cerullão, que deve aparecer nos próximos meses, cumprindo a tradição anual.
Bonito, né, sr. Malafaia?
Nada de bonito. É triste, abominável, execrável, terrível. Isso é zombar de Deus e zombar da inteligência dos fiéis. Está certo que há muitos que acreditam em qualquer baboseira que um líder religioso diga, mas aí a coisa fica ainda pior, pois é se aproveitar da boa fé e ingenuidade de muitos para alcançar seus objetivos financeiros e de poder. Sim, de poder também, pois já começou a corrida eleitoral e, claro, Malafaia e outros (im)pastores como ele já estão articulando apoio a candidatos de todos os níveis, com o fim de alcançar poder em todas as esferas políticas.
Já que o Malafaia gosta de ensinar, de dar conselhos, também vou dar meu conselho ao Malafaia:
Arrependa-se enquanto ainda é tempo.
"Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho;
O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo.
Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.
Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema." - Gálatas 1:6-9
Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar!
 ***
Em Cristo,
Mário

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

JEAN WYLLYS FALA "ASNEIRAS" POR FALTA DE CONHECIMENTO SOBRE DEUS E BÍBLIA

Amados,leiam com atenção as besteiras que este ateu e ativista gay fala sobre Deus.

Jean Wyllys: “Deus não vê a homossexualidade como errada"  por Carol de Andrade em Gospel, Notícias


O deputado federal e ativista gay Jean Wyllys concedeu uma entrevista à revista Playboy e afirmou que em seu relacionamento com Deus “a homossexualidade não é errada”.

De acordo com o ex-BBB, o Deus pregado por cristãos e judeus é uma ideia forjada com ingredientes machistas.

“Deus é presente na minha vida. A minha concepção de Deus não é esse Deus masculino, forjado pelo judaico-cristianismo no nosso imaginário. Deus para mim são os mistérios. Deus para mim é aquilo que a razão humana não explica. Deus para mim é um princípio, uma energia feminina, masculina. Uma energia inspiradora, criadora. A energia das artes, da inspiração artística. A energia do transe, do êxtase. Isso para mim é Deus. E na relação com esse Deus, a minha homossexualidade não é julgada, não é condenada, não é dita como errada”, argumentou.

Criado na tradição católica, Jean Wyllys afirma que o Deus em quem ele crê “de certa forma, é o mesmo” pregado na tradição judaico cristã, e explica sua forma de vê-lo a partir daquilo que ele mesmo interpreta do ministério de Jesus.

“Acho que Jesus, aquele que é considerado Cristo, o revolucionário palestino, acreditava em um Deus que era judaico. O Deus da Judeia. Mas Jesus já tinha sacado essa compreensão quando ele falava do Deus amor. Era um homem que não podia fugir dos limites da sua ética, e os profetas da religião dele, que era o judaísmo, representavam esse Deus com uma face masculina bélica. Ele não podia fugir disso, mas já compreendia que Deus tinha um outro sentido quando ampliava a ideia do amor e do perdão. Esse Deus que ele pregava já não era aquele Deus vingativo. Já não era o Deus que conduziu Josué na batalha de Jericó, que mandou passar no fio da espada os inimigos. Esse Deus já era um Deus do amor. Um Deus do perdão”, disse o deputado.

Fonte: Gospel hoje

Mário César

terça-feira, 5 de agosto de 2014

A MENSAGEM DA CRUZ E AS MENSAGENS DOS HOMENS


Por Mário César de Abreu

"Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos."  (I João 4 : 9)

Amados,esta é a mensagem do evangelho: "Deus manifestando seu amor ao homem enviou Jesus,que se ofereceu em sacrifício na cruz,para que haja vida em vez de morte".Herdando a natureza pecaminosa de Adão e por isso separado de Deus,o homem já nasce condenado a passar a eternidade no inferno."Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;"  (Romanos 3 : 23).
"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor."  (Romanos 6 : 23).Somente o amor de Deus provê salvação em Cristo."Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele."  (João 3 : 17).E esta salvação é de graça:"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus."  (Efésios 2 : 8)

Sendo rebelde e devedor a Deus que é Santo,o homem pecador não pode salvar a si mesmo e é aí que entra o infinito amor de Deus."Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."  (João 3 : 16)(Grifo nosso).Mas o homem precisa aceitar esta salvação,precisa crer em Jesus e considerar sua obra de redenção.
O autor aos Hebreus escreve:"Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;"  (Hebreus 2 : 3)
Apesar de ser esta,uma "tão grande salvação",tem muita gente trocando este evangelho por fábulas de homens.
"Não dando ouvidos às fábulas judaicas, nem aos mandamentos de homens que se desviam da verdade."  (Tito 1 : 14).
Paulo no verso acima, alerta a Tito a não dar ouvidos às doutrinas de homens que se desviam da verdade do evangelho,homens como existem nos dias atuais,pregando um falso evangelho que promete prosperidade financeira e nem de longe ensina que só Jesus pode salvar porque Ele pagou a dívida do homem para com Deus com seu próprio sangue;homens que não ensinam que Jesus depois de dar a vida pelos pecadores,ressuscitou,vencendo a morte por todos que colocarem sua fé Nele.

Esta é a mensagem da cruz de Cristo,a única que resolve o grande problema da humanidade que não é a falta de dinheiro,posição social ou qualquer outra coisa senão que o homem precisa ser salvo de uma vida separada de Deus aqui e no inferno eternamente.
"Serpentes, raça de víboras! como escapareis da condenação do inferno?"  (Mateus 23 : 33)
Estas palavras foram ditas por Jesus aos farizeus(seita judaica) que tanto o rejeitaram e eu pergunto o mesmo: como escapar do inferno rejeitando a Cristo,não atentando para tão grande salvação? Se Jesus é a unica fonte de vida,de que adianta crer em um evangelho onde o homem é o centro de tudo? De que adianta ser um famoso cantor "gospel" cantando no meio dos infiéis em programa de auditório,se misturando com o mundo?"Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?"  (II Coríntios 6 : 14) De que adianta ajuntar muitos tesouros na terra e nemhum no céu?"Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam."  (Mateus 6 : 20).

E então,o que vai ser: A mensagem da cruz ou as mensagens dos homens?

Em Cristo,

Mário César de Abreu

sábado, 26 de julho de 2014

Silêncio sobre perseguição aos cristãos no Iraque é questionado por estudioso britânico

AMADOS,OREMOS PARA QUE DEUS MOVA OS CORAÇÕES E DÊ FORÇAS AOS NOSSOS IRMÃOS PERSEGUIDOS NO IRAQUE.  MÁRIO CÉSAR





iraque
Ao pesquisar sobre a perseguição de cristãos iraquianos, um acadêmico britânico constatou que a situação atual é “digna de desprezo”.
Tim Stanley escreveu um artigo para o diário britânico The Telegraph recentemente, onde deixa queixas sobre o êxodo de cristãos do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL).
No texto, ele retrata o contexto como um “crime de guerra que, estranhamente, parece que ninguém quer se pronunciar” a respeito.
Dentro das obrigações que os cristãos iraquianos vivem, ele entende que o momento dos cristãos no país se resume a “uma escolha pouco atraente: se converter, pagar um imposto religioso, ou ser colocado para a espada”.
Durante o período sob comando do ditador Saddam Hussein, há pouco mais de dez anos, antes da invasão dos EUA, a população cristã no Iraque era de cerca de 1,5 milhões de pessoas.
Uma das principais reivindicações de Stanley é para que o Ocidente se mova, já que esteve tão envolvido no Iraque na última década e hoje cala sua voz.
“As ruas de Londres se enchem de milhares que marcham contra a operação militar de Israel na Faixa de Gaza; o Ocidente trilha poderosamente contra os separatistas na Ucrânia, mas quanto ao Iraque não há nada”, questiona o estudioso.
Para Stanley, os chefes de Estado ocidentais estão mais preocupados com questões de território do que sobre direitos humanos, o que “faz nos sentir envergonhados com a própria ideia de ver cristãos como uma minoria perseguida”.
Ele acrescenta que “ocidentais têm sido treinados a pensar nos cristãos como ‘agentes de agressão, e não a sua vítima’, e por isso estão surdos aos pedidos de ajuda”.
Seja qual for a razão, Stanley aponta que alguma providência deve ser tomada, pois tal silêncio não pode ser tolerado, sobretudo pelo esforço que o povo cristão do Iraque tem manifestado para continuar professando sua fé.
“Qualquer desgosto com a nossa própria covardia moral deve ser equilibrada pela admiração para os iraquianos que continuam a dar testemunho de sua fé, em uma terra que se move cada vez mais perto de proibi-los. A sua resiliência ilustra a diferença entre o islamismo fundamentalista e o cristianismo. O primeiro é uma religião de assassinos, este último é uma religião de mártires”, complementa o acadêmico, criticando o lado extremista do Islã.
Fonte: Christian Post
***
Mário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...